A História do Pescador Mexicano

Esta é a história que começou com “ser mais ou menos” um movimento para mim. Enquanto eu sabia que todo o trabalho e apostar no jogo não eram o caminho. Eu pensei que estaria para sempre preso no ciclo de trabalhar para viver. Que sempre teria as prestações de carro, dívida de cartão de crédito e não teria dinheiro suficiente no final do mês. Eu pensei que tinha que trabalhar mais duro para fazer mais, comprar mais e ter mais. Ao mesmo tempo, eu realmente pensei que me faria melhor de alguma forma.

Esta história é a minha inspiração para abrandar, reavaliar e obter real sobre como eu quero viver a vida.
Um banqueiro de investimento americano estava no cais de uma pequena aldeia costeira mexicana quando um pequeno barco com apenas um pescador atracou. Dentro do pequeno barco estavam grandes atuns albacora. O americano elogiou o mexicano pela qualidade de seu peixe e perguntou quanto tempo demorou em pegá-los.

O mexicano respondeu: “Só um pouco. O americano então perguntou por que ele não ficaria mais tempo e pegaria mais peixe? O mexicano disse que tinha o suficiente para sustentar as necessidades imediatas de sua família. O americano então perguntou, “mas o que você faz com o resto do seu tempo”?”.
O pescador mexicano disse: “Eu durmo até tarde, pesco um pouco, brinco com meus filhos, todas as tardes tiro um cochilo com minha esposa (a famosa siesta mexicana), Maria. Passeio na aldeia todas as noites, onde eu bebo vinho e toco violão com meus amigos. Eu tenho uma vida cheia e ocupada. “O americano zombou,” Eu sou MBA Harvard e poderia ajudá-lo. Você deveria gastar mais tempo pescando e com os rendimentos, compre um barco maior. Com os lucros do barco maior, você poderia comprar vários barcos, eventualmente você teria uma frota de barcos de pesca. Em vez de vender seu produto a um intermediário você venderia diretamente ao processador, eventualmente abrindo sua própria fábrica de conservas. Você controlaria o produto, processamento e distribuição. Você precisaria sair desta pequena vila de pescadores costeiros e se mudar para a Cidade do México, depois para Los Angeles e, eventualmente, para a cidade de Nova York, onde operaria sua empresa em expansão”.

O pescador mexicano perguntou: “Mas, quanto tempo isso vai levar?”
Ao que o americano respondeu, “15 – 20 anos”.

“Mas o que então?” Perguntou o mexicano.

O americano riu e disse: “Essa é a melhor parte. Quando chegar a hora certa você anunciaria uma oferta pública inicial e venderia o estoque de sua empresa ao público e se tornaria muito rico. Você faria milhões!”

“Milhões – e depois?”

O americano disse: “Então você se aposentaria”. Mudaria para uma pequena vila de pescadores costeiros onde você dormiria tarde, pescaria um pouco, brincaria com seus filhos, dormiria a siestas com sua esposa, passearia na aldeia à noite, onde você poderia beber vinho e tocar guitarra com seus amigos.

Simples assim…pescador mexicano pesca e cia caruaru

Anúncios

Saiba o que é Airsoft?

O Airsoft é um esporte de ação que simula situações de combate. Para isso utiliza armas de de pressão que disparam bolinhas de plástico (bbs) de 6 mm de diâmetro. As bbs são rígidas e sem tinta, por isso a honra dos jogadores é fundamental para o desenvolvimento do esporte, já que ele deverá acusar que foi atingido e sair do jogo. No Brasil o airsoft é regulamentado pelo Exército Brasileiro e a ponta laranja é exigida em todos os equipamentos.

As armas são réplicas externas de armas de fogo reais, porém, seu mecanismo interno em nada se assemelha com as mesmas, sendo impossível qualquer conversão das armas de airsoft para o uso com munição real.

Honra

Mas aí me perguntam: se não tem tinta e não marca, como é que sabemos quando acertamos a pessoa do outro time?

Simples. O airsoft é um jogo cujo pilar principal é a HONRA dos jogadores. Assim, quando um jogador for atingido, imediatamente ele acusa o acerto e sai do jogo. A honestidade dos jogadores é então, fundamental para o desenrolar do esporte e sua popularização pelo mundo. Sem ela, o airsoft não sobrevive.

O Airsoft

Como a intenção básica do esporte é simular situações de combate, busca-se o realismo em todos os aspectos. Assim, os equipamentos e as vestimentas utilizadas são bem parecidos com os reais.

Os jogos são compostos por duas ou mais equipes, vencendo a equipe que conseguir cumprir seu objetivo primeiro, existindo uma infinidade de objetivos.

Surgiu no Japão na década de 70, sendo hoje um esporte muito popular em todo o mundo. No Japão, é quase um esporte “nacional”. Nos Estados Unidos, por exemplo, todo ano ocorre o evento “Operação Irene”, no qual uma base de treinamento do exército é utilizada para a realização de um evento que dura um fim de semana inteiro. Em outros países, eventos como o “Berget” europeu reúne milhares de entusiastas, entre muitos outros.

Os praticantes desse esporte são pessoas comuns que nutrem uma profunda admiração pelas forças policias e militares mundo afora. São médicos, engenheiros, professores, militares, estudantes, pedreiros, vendedores, etc.

Não há nenhuma vinculação política, paramilitar, separatista, revolucionária ou criminosa. São pessoas comum que através do esporte se divertem, baseados na honra, segurança e respeito às leis.

Armamento

As armas de airsoft são enquadradas como ARMAS DE PRESSÃO, de acordo com os decretos e portarias do Exército Brasileiro
(R-105 e Portaria Nº 02 COLOG, de 26 fevereiro de 2010). Basicamente há três tipos de armas: elétricas, a gás e à mola.

As elétricas são as mais comuns, indicadas para aqueles que desejam ingressar no esporte. São conhecidas como:

AEG – automatic eletric gun, ou “arma elétrica automática”.

São armas que utilizam uma bateria, um motor e um sistema de engrenagens e pistão para comprimir uma mola e expelir o projétil. O diagrama abaixo exemplifica o funcionamento interno destas armas:

O segundo tipo são as armas que utilizam gás. Em sua maioria pistolas com um sistema que imita o recuo das armas de fogo, as chamadas GBB – gás blowback.

Por fim temos as armas que utilizam a compressão manual da mola para comprimir o ar e expelir as bb’s,como as Springers, os Snipers e as shotguns. Tirando as pistolas springers que são armas mais simples, de baixa qualidade e sem capacidade de serem utilizadas nos jogos, as armas Snipers utilizam esse sistema, bem como as shotguns.

Munição

São esféricas, feitas de plástico ou algum composto biodegradável, e com diâmetro de 6 mm. Possuem diversas gramaturas, sendo as mais comuns de 0.2g e 0.25g para aegs, gbbs, e demais armas; e 0.3g para snipers.

Airsoft x Paintball

Os leigos confundem o airsoft com paintball. Mas, existem muitas diferenças entre eles. Podemos destacar:

• Preço da munição é mais barato no airsoft.
• No airsoft utilizam-se armas de pressão,estas “réplicas” externas de armas de fogo reais e com isto temos mais realismo nos jogos.
• Os tiros não machucam tanto quanto o paintball, pois os projéteis não precisam estourar.
• A roupa e os equipamentos não ficam manchados de tinta.
• Busca-se a realidade, tanto nas armas, como vestimentas e no comportamento tático dos jogadores.
• A HONRA é a base do esporte.

Ponta laranja

No Brasil o Airsoft é regulamentado pela portaria 002-Colog de 26/02/2010. Uma das exigências desta portaria é que todas as armas de airsoft tenham uma marcação em sua extremidade na cor laranja ou vermelho vivo. Essa é uma obrigação legal e a QG Airsoft só vende produtos que atendam essas condições. Obedeça a lei e ajude a praticar o airsoft de forma legal.

Segurança

Um dos fatores importantes, é a segurança. Porém, a periculosidade do esporte é muito menor do que a maioria dos esportes que são praticados. O único perigo real é uma bb acertar os olhos de alguém, podendo levar a pessoa perder a visão. Assim, proteção ocular é OBRIGATÓRIA. Os tiros em si não doem tanto assim, mas com os olhos não se pode brincar. No jogo de airsoft você deverá utilizar óculos ou máscara que resistam o impacto de um projétil. Os óculos de proteção não devem ser afetados por um tiro de bb a pelo menos 30 cm. Não pense que um simples “óculos de segurança”, “óculos de laboratórios”, “óculos de marca”, “óculos de ski” ou mesmo os ”óculos militares do tipo sol, vento e poeira (sun, sind, and dust)” irão servir. NEGATIVO! Esses itens correm o risco de não resistirem ao impacto de forma suficiente e a maioria não “sela” totalmente seu rosto, não protegendo todo o seu globo ocular.

Escolha óculos que realmente “vedem” seus olhos. Você deve comprar óculos tático que excedam o padrão de resistência ao impacto ANSI Z87.1 1989. Máscaras de paintball também podem ser utilizadas como proteção. .

Eles também devem se prender por toda a cabeça, através de alguma cinta, para evitar o risco de cair durante uma partida. A armação tem que ser forte o suficiente para manter a lente no lugar durante o jogo..

NÃO BRINQUE COM ISSO! COMPRE UM BOM PAR DE ÓCULOS – SE VOCÊ TEM DINHEIRO PARA COMPRAR UMA AEG OU GBB, VOCÊ TEM DINHEIRO PARA PROTEGER SEUS OLHOS. NÃO SEJA ESTÚPIDO!

Credito:
http://www.qgairsoft.com.br

 

Qual a arma mais adequada para praticar Airsoft e suas técnicas

Em uma listagem prática, estão quatro comuns motivos e situações diferentes para a aquisição de armas airsoft, para quem pratica tiro ao alvo sem compromisso, em casa ou no sítio, para as práticas em ambientes apropriados, para competição de airsoft, jogo ou simulação militar e para os colecionadores.

Tiro ao alvo em ambientes abertos e fechados
Pode ser praticado em casa, em um espaço amplo, fechado ou aberto, como em quintal, ou também em grandes áreas abertas, como chácaras e sítios. Entre as práticas mais comuns, e famosas, é o tiro em latas. As armas escolhidas para esta prática podem ser as pistolas Spring, armas ativadas através de pressão por mola ou as Toys, com engrenagens de plástico e baixo alcance.
Tiro prático em localidades apropriadas para tal
Tanto para a prática realizada em pistas, stands, competições ou treinamentos para tiro, o mais indicado são pistolas GBB (Gas Blowback). Elas funcionam a gás propano e contam com o aspecto realista provindo do famoso tranco resultante da pressão.

Jogo de airsoft e/ou simulação militar:

Já caracterizado como jogo, a dinâmica geralmente requer movimentação. Para esta prática, independente do objetivo do jogo, a indicação é um rifle AEG (Automatic Eletronic Gun), armas movidas a bateria. São as armas de airsoft mais utilizadas atualmente e se dividem em duas categorias, semiautomática e automática (full-ato). Como se trata de competição, é indicado possuir uma pistola como backup (AEG ou GBB).

Colecionismo:

Quem coleciona armas, ou pretende fazê-lo, vai contar com os mais diferentes tipos de modelos de armas !link Airsofthttp://www.qgairsoft.com.br/armas-de-airsoft. Se o modo de disparo não for importante para o colecionador, os modelos são muitos. O grande benefício de se colecionar armas airsoft está no baixo custo, quando comparado às armas de fogo e, também, a alternativa perante a grande burocracia existente atualmente no Brasil para quem deseja adquirir armas reais.

Toda linha de Airsoft voce encontra em http://www.pescaeciacaruaru.com

Como pescar Tucunaré

Dez dicas para pescar tucunaré

CONFIRA O QUE OS ESPECIALISTAS RECOMENDAM NESTAS DICAS E MACETES PARA QUEM PRETENDE FISGAR OS TUCUNAS, AMARELOS, AZUIS E OS AMAZÔNICOS.

O tucunaré certamente é um dos peixes mais amados pelos pescadores amadores. Fizemos um pequeno guia com dicas para pescar tucunaré, sempre queridos, e que atraem para o Brasil amantes da pesca de todo o mundo.

DICA 1- O tucunaré é um peixe predador que procura estruturas para se proteger e caçar suas presas. Para se protegerem, ou mesmo para atacar suas presas, os tucunarés, muitas vezes, se abrigam em estruturas submersas.

DICA 2 – Aprenda a localizar a parte rasa e mais funda de um lago, represa, espraiado ou baía de rio. São nesses locais que a espécie se encontra. As presas estão normalmente na água mais rasa. Os bocudos saem da parte mais funda para a captura de seu alimento.

DICA 3 – Para você é fã de iscas de superfície, utilize-as para localizar onde o peixe está. Se o predador não concluir seu ataque, dê um tempo para o ponto ficar descansado, e em seguida, use outra artificial, como uma meia-água para conseguir fisgá-lo,

DICA 4 – Trabalhe a isca imitando o que acontece na natureza, ou seja, observe como se comportam os peixes em fuga, e procure simular esses movimentos.

DICA 5 – Em dias que ocorrer uma mudança climatológica brusca, como em dias muito ensolarados, o peixe costuma ir para o fundo. Iscas de fundo, como jigs funcionam bem nessa situação. Para melhor aproveitamento use uma sonda.

DICA 6 – Pense que toda a ação corresponde a uma reação. Quanto mais violento for sua recuperação de linha, mais violenta será a reação do peixe. Portanto trabalhar com calma e de forma suave garante mais embarques dessa cobiçada espécie.

TUDO PARA SUA PESCARIA, VOCÊ COMPRA SEM SAIR DE CASA

DICA 7 – Com o tempo você aprende que as ações das varas se adaptam melhor ao trabalho das iscas. Com isso faz as escolhas para tirar o máximo do trabalho de suas iscas.

DICA 8 – Ao aproximar qualquer espécie, principalmente o tucunaré para embarcar, mantenha pelo menos um comprimento de vara de linha sem ser recolhido, permitindo que a ação da vara e o freio da carretilha ou molinete trabalhe quando exigidos.

DICA 9 – Muito cuidado com o peixe embarcado. Parte das garatéias não estão em sua boca. Use um alicate para retira-las e evite ferimentos que impossibilitaria você de continuar a atividade.

DICA 10 – Lembre-se de soltar grande parte de suas capturas. A prática do Pesque e Solte garante os estoques pesqueiros e sua diversão no futuro

Veja o video:
Como pescar Tucunaré

 

Como ter sucesso na pesca

COMO OBTER SUCESSO EM SUA PESCARIA

Todo pescador tem como objetivo conseguir realizar uma pescaria perfeita, em um local agradável, com ótimos peixes, boas brigas, parceiros de pesca agradáveis e clima favorável.

Para isso acontecer, o próprio pescador deve tomar as devidas precauções para não se arrepender de nada e não cometer erros desastrosos.

Como todos nós sabemos, em muitos locais no Brasil já está cada vez mais difícil encontrar e pegar peixes. Cada vez mais os pescadores estão se atualizando, por isso é preciso buscar sempre a qualidade.

SINAIS IMPORTANTES PARA SABER ONDE MELHOR PESCAR

1 – Aves Aquáticas

É este o melhor sinal de todos, pois as aves se alimentam de pequenos peixes e, conseqüentemente onde se encontra um o outro está ao lado.
Em um local onde existem diversas aves, com certeza haverá alimentação em abundância de peixinhos.
Como sabemos, peixes predadores se alimentam também desses pequenos peixes.
Se tiver que escolher um bom local para pescar, dê preferência para onde haja bandos de aves aquáticas juntas.

2 – Ilhas ou Pedras

Nesses locais, o melhor sinal será procurar as rochas que mais tenham organismos vivos, tais como mariscos, ostras, cracas, etc.
No caso de uma ilha, tais rochas sempre se encontram do lado de fora, ou seja, onde o mar é aberto.
Esse sinal também pode ser utilizado nos rios ou baías de litoral.
Em água doce, as pedras são refúgios de pequenos peixes, e é aqui que o peixe maior lhes dará caça.

3 – Troncos e/ou Árvores submersas

Outro importante sinal que deve ser observado, tanto em rios do litoral como em rios de água doce ou represas.
Muitas são as espécies de peixes predadores que procuram esses locais para se alimentar, pois em volta de paus e árvores parcial ou totalmente submersas, se avolumam organismos vivos, que são as iscas de peixes maiores, como por exemplo o robalo, o black-bass, os tucunarés, etc.

4 – Margens com Capim

É um ótimo sinal para represas e rios de água doce, pois será nesses locais que os pequenos peixes se refugiarão para escapar dos ataques dos predadores, além de haver também uma infinidade de outras espécies de peixes que têm no capim sua base de alimentação.
É também o capim o principal responsável pela quantidade de insetos do local, que nele ficam e constituem a alimentação de alevinos e pequenos peixes.

5 – Árvores Frutíferas

Mais um importante sinal da natureza, e estas tanto podem ser selvagens como caseiras.
Várias espécies de peixes se alimentam de frutos. Por exemplo: um pé de goiaba à beira de uma represa.
Se for tempo de goiabas maduras, com certeza as tilápias estarão se alimentando dessa fruta.
Então qual a melhor isca que devemos usar nessa época e nesse local ? A goiaba é apenas um exemplo, pois é enorme a variedade de frutos à beira d’água, assim como o peixe citado é apenas outro exemplo.
Se quisermos, poderemos citar, além da tilápia, peixes como o pacu, a carpa, a piracanjuba, a piaba e etc, pois todos têm o mesmo hábito.

6 – Pequenos Cursos D’água

Consistem outro importante sinal da natureza que tanto pode ser usado em água doce como no mar.
Aqui o detalhe é que os peixes grandes ficam à espera do alimento que invariavelmente sairá do pequeno curso d’água.
O melhor local para a pesca é na junção das águas.

7 – Identificação dos Canais

Com certeza os peixes sempre trafegam pela parte mais profunda, ou seja, os canais.
A identificação desses locais é ampla e diversa.
No mar podemos descobri-los pela formação das ondas.
Em baías e rios de litoral, pela formação das pedras ou terra firme.
Um exemplo que pode ser citado, na entrada de um canal, se tivermos de um lado praia e do outro lado um morro com pedras, com certeza o leito passará perto do morro.
Em rios, será necessário descobrir os remansos, e isso pode ser feito através da observação de plantas aquáticas que ficam na superfície das águas.
Em represas, descreveremos bem a moda “caipira”.
Com um bambu ou uma corda com um peso, vá batendo o fundo da represa.
Quando chegar ao canal, a profundidade aumentará repentinamente.

8 – Barrancos de Terra Firme

É outro bom sinal da natureza, pois além de fundo, é o local onde o predador dá caça aos outros peixes, que não tem oportunidade de fugir.
Nesse local, prefira pescar sempre observando a categoria do peixe desejado.

9 – Cachoeiras ou Corredeiras

Quem é que não sabe que nas piracemas, os peixes menores tem que vencer esses obstáculos, rio acima, para a desova?
Pois é, nas corredeiras, os peixes maiores costumam se alimentar, e isso, por si só, já constituiria um excelente local de pesca. Mas não se esqueçam… existe um limite onde pode se pescar, normalmente 200 metros abaixo ou acima desses locais. Não cometa o erro de pescar em local proibido, informe-se bem antes de empreitar uma dessas.

DICAS IMPORTANTES PARA SE CONQUISTAR UMA BOA PESCARIA

A Prática

Só mesmo a prática leva a perfeição, então o melhor a fazer é mesmo praticar bastante, porém não é só isso, é preciso ficar atento aos erros.
Sempre que errarmos alguma coisa na pescaria – seja um enrosco, um peixe que escapou, a linha que estourou – ficar atento no que levou a acontecer isso – a linha não resistiu, o arremesso foi mal feito, a fisgada não surtiu efeito – e de imediato procurar a solução, seja perguntando para pescadores mais experientes ou lendo em revistas e jornais especializados, e principalmente não repetir o erro.

A Atenção

Esse fator elimina mais de 50% dos erros cometidos em pescarias.
Procure sempre verificar se os nós estão firmes, o anzol está bem afiado, a forma de prender a isca está correta, entre outros.
Observar o comportamento dos peixes, aonde eles devem estar escondidos, quais suas iscas preferidas e seus hábitos principais.
Ficar por dentro do que vem acontecendo nos últimos dias no local em que irá pescar: outras pessoas estão tendo sucesso? a água está escura? que iscas estão usando? enfim, tudo isso devemos saber, caso contrário poderemos estar perdendo tempo naquele local.

A Comunicação

A comunicação é um processo normalmente de três vias.
Ela envolve os parceiros que estão pescando conosco, as pessoas residentes no local (piloteiros, donos de hotéis, pesqueiros, ribeirinhos, etc) e os demais pescadores presentes.
Agilizar a comunicação significa buscar a informação onde ela estiver disponível e não esperar que venha até nós.
Essa agilidade e qualidade de informação certamente irá nos ajudar a ter sucesso. Não tenha medo de perguntar.

A Hora Certa e o Silêncio

A melhor hora para encontrar as espécies de peixes são no início da manhã e no final da tarde.
Isso não quer dizer que não se possa pescar em outros horários.
Já ouvimos muitos pescadores dizendo que fisgaram grandes espécies à noite, de madrugada ou ao meio dia, e realmente isso acontece.
Já outro fator importantíssimo na pesca de algumas espécies como a Tilápia, o Lambari, Pacu, Piau, entre outros, é o silêncio na pescaria.

Papel de Cidadão

Para finalizar estas pequenas dicas para obter sucesso na pescaria, salientamos a importância de preservar os peixes e o nosso meio-ambiente.
Todos nós queremos pescar em um local bonito, agradável e com peixes, e também sabemos que só depende de nós.
Experimente entrar para o time do pesque e solte, ou pelo menos não leve peixe abaixo do tamanho ideal e apenas o que a legislação permite. E nem deixe lixos espalhados no local.
Caso você esteja se dirigindo para “aquela pescaria” em um pesque-pague, pesqueiro, etc., lembre-se de que você tem a obrigação de manter o ambiente da maneira como o encontrou.
Evite jogar papéis, copos, bitucas de cigarro, etc., dentro do lago, aliás em lugar algum. A grande maioria dos pesqueiros possui latões de lixo bem distribuídos ao redor dos lagos e, caso estejam longe do seu “point” de pesca basta levar sempre uma sacolinha de mercado para guardar as indesejáveis sobras, evitando assim, a poluição visual e ambiental.
Lembre-se também de “respeitar” as regras do local evitando arremessos longos e desnecessários para a captura do seu exemplar.
Essa última regra ajuda a manter a amizade e a criar novas, possibilitando assim a ampliação da nossa “rede de amigos”.
Caso mesmo seguindo estas dicas, o pescador não obtenha sucesso, fique tranqüilo, você fez tudo como devia, e lembre-se que a pesca é um esporte, às vezes a gente perde e às vezes a gente ganha.

Anzóis sem Farpa

Para quê serve a farpa do anzol?
A resposta a esta pergunta pode parecer simples: para prender a boca do peixe fisgado, de modo que ele não consiga escapar mesmo que dê muitos saltos e se agite com a intenção de se livrar.
Porém, muitos pescadores esportivos têm respostas diferentes: a farpa do anzol é uma tremenda inutilidade, só machuca o animal e torna mais complicada a devolução do peixe à água, quando se pratica o pesque e solte.
A pesca para se tornar esportiva deve dar ao peixe as chances de brigar com o pescador e depois, se vencido, ser devolvido à água, caso contrário é predatória.
Por isso, pescar sem farpas, pode ser mais difícil, pelo fato do bicho (teoricamente) ter mais chances de fugir, porém é uma briga igual.
Se estiver utilizando garatéias é essencial tirar as farpas e pode ficar tranqüilo que ainda assim o peixe poderá ser capturado.
Quando for pescar em pesque pague e quiser devolver os peixes a água, nem pense em utilizar farpas, pois os proprietários irão ficar malucos, já que os peixes podem morrer em consequência de um ferimento mais grave.
Para retirar as farpas dos anzóis e garatéias utilize alicates de bicos e as amasse ou quebre.
Essa atitude já é muito praticada no Japão e em países mais desenvolvidos, onde a conscientização de que os peixes podem acabar já chegou e vem sendo muito difundida.
Aqui no Brasil, precisamos passar sempre esta mensagem adiante para os amigos, e tentar ao menos diminuir a matança das espécies e evitar o fim de um esporte tão gostoso que é a pesca esportiva.

OS SENTIDOS NO NOBRE COMPANHEIRO “O PEIXE”

1 – Visão

Pescador que se preza precisa usar todos os recursos disponíveis para que o peixe tenha uma visão da isca como algo tentador.
Discute-se muito se o peixe é capaz de distinguir cores, no entanto, a cada dia acrescentamos mais anilina nas iscas naturais e o mercado das artificiais possui prateleiras cada vez mais coloridas.
Um grande número de pesquisadores afirma que os peixes distinguem cores e detectam variações imperceptíveis ao olho humano.
Por outro lado, há quem afirme que o animal enxerga somente o preto, o banco e suas variações.

2 – Olfato

Embora não tenham nariz, os peixes possuem fossetas nasais dotadas de células ligadas às fibras do nervo olfativo, extremamente desenvolvido nos peixes.
Este apontamento é de grande importância no transcorrer de uma pescaria pois poderemos de forma inconsciente apresentar ao peixe odores que poderão repeli-los tais como : fumo, combustível, lubrificantes, desodorantes, vestígios de sabão/sabonetes e pasme, até mesmo aquelas gotas de urina que sobraram na mão.
No entanto, o mais importante dos odores é gerado pelo próprio peixe.
Algumas espécies quando submetidas a um alto nível de stress, exalam uma substância chamada schrecksoffen.
Ela serve como alarme aos outros peixes, dizendo que existe perigo presente.
Portanto, quando nos encontramos em um pesqueiro muito produtivo e após uma boa briga o peixe escapa, o local provavelmente ficará improdutivo por um certo tempo, e suas mãos também.
É aconselhável, antes de pegar o peixe, molhar as mãos ou pegá-lo com um pano úmido e, após soltá-lo, lavar bem as mãos com água da própria represa/lago/rio.
Os movimentos de fuga, somados com o stress do peixe, podem criar um ambiente impróprio para a pesca durante algum tempo.

3 – Audição

Embora o peixe não possua orelhas, um ouvido interno possibilita que ele ouça sons que variam de 30 a 3.000 vibrações por segundo (o homem ouve até 30.000).
No entanto, a velocidade do som no ar se propaga a 340 metros por segundo e na água 1.400 metros por segundo.
Embora o peixe ouça menos, ele capta as informações de forma muito mais rápida.
Por isso é importante o “silêncio” na pescaria.

4 – Paladar

Os peixes têm o paladar bastante aguçado, devido ao grande número de tubérculos que ocupam sua boca e suas nadadeiras.
Como o meio aquático tem a capacidade de transportar e espalhar as partículas responsáveis pela sensação de sabor, elas chegam até os peixes, fazendo com que o animal se sinta atraído ou repelido pelo paladar que está sentindo.

Boas pescarias!

Fonte/Colaboração: Hotel Saladero Cuê
Revisão: “João Carlos “Pescador de Jaú”